Michaela Iacoe
Sentimentos, Poesias, Cronicas
Textos
Quando usar vírgula? 10 dicas úteis
A Língua Portuguesa é um dos mais belos idiomas do mundo. Mas falar um bom português nem sempre é fácil. Como usar a vírgula? E quando usar a vírgula? A vírgula é, sem dúvida, um dos sinais de pontuação mais complexos e versáteis.
A vírgula indica uma pausa no discurso. A sua utilização é tão importante que pode mudar o significado quando não utilizada ou utilizada de forma incorreta. A vírgula também serve para separar termos com a mesma função sintática, bem como para separar o aposto e o vocativo.
No entanto, por muitas regras do uso da vírgula que existam, essas regras podem ser quebradas se a sua intenção é, por exemplo, escrever poesia. Na poesia, o uso da vírgula pode sofrer algumas variações e tornar-se mais flexível.

Afinal, quando usar vírgula?

Claro que a confusão das vírgulas pode ser compreensível na língua portuguesa, onde para cada regra há uma excepção (e se isso mesmo é uma regra, qual será a excepção a esta regra?). Pode ser um valente nó no intelecto de qualquer um. Mas há dez situações onde as vírgulas são obrigatórias. As regras estão indicadas aqui abaixo. A frase seguinte é um exemplo prático dessa regra.

• Para separar partes da frase com a mesma função sintática, a não ser que se use as conjunções “e” ou “ou”. Fui comprar fruta, leite e ovos no supermercado.

• Para delimitar o vocativo (quando chama alguém). Pedro, pode me emprestar o teu livro?

• Para delimitar uma parte explicativa da frase. O João, que joga futebol, foi comprar umas chuteiras na loja.

• A seguir a “sim” ou “não” quando surgem no início da frase para se referirem a uma frase anterior. Não, o restaurante não está aberto no domingo.

• A seguir a conectores adverbiais. O Fábio gosta de gelado, contudo, evita os de morango. // O Fábio gosta de gelado. Contudo, evita os de morango.

• Todas as conjunções surgem depois de vírgula, com exceção da conjunção “e”. Preferi não entrar na sala, embora estivesse muito curioso.

• As orações adverbiais, quando no início de frase, são terminadas com vírgula. Quando descobri que tudo era verdade, fui até casa dele e pedi desculpa.

• As orações adverbiais, quando no meio da frase, são delimitadas por vírgulas. Hoje à tarde, quando descobri que tudo era verdade, fui até casa dele e pedi desculpa.

• As orações com gerúndio são quase sempre terminadas com vírgula. Olhando pela janela, Sofia sabia que tinha um longo caminho pela frente.

• Quando uma palavra ou expressão modificadora do verbo ou de toda a frase surge no início da frase, deve ser seguido por vírgula. Felizmente, a tempestade durou apenas alguns minutos.

• Quando uma palavra ou expressão modificadora do verbo ou de toda a frase surge no meio da frase, deve ser delimitado por vírgulas. A tempestade vai, felizmente, durar apenas alguns minutos.

• A vírgula é obrigatória quando a conjunção "mas" marca uma oração coordenada adversativa, que indica essa relação de oposição entre as unidades ligadas. A regra também vale para outras conjunções, como "porém" , "todavia" e "entretanto". Exemplos: Faz frio, mas não nevou. Quando a conjunção “mas” aparece no início do período, a conversa é outra. Aqui, só haverá vírgula depois dela se houver uma frase intercalada separando-a do resto da oração da qual ela faz parte.
Exemplo: Mas, apesar dos esforços, a meta não foi alcançada.

Michaela Iacoe
Enviado por Michaela Iacoe em 22/03/2019
Alterado em 08/04/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras